Corredor

Uma história de amor em poucas linhas.

Foto de xegxef no Pixabay

Espremeu-se pelos corredores apertados, imerso no barulho e um quase cego pelas luzes. Flanava olhando em todas as direções, mas parecia não haver nada ali para ele. Uma multidão de olhos estavam apontados em sua direção, até que um desses olhares capturou o seu. Então parou e, num instante, estava fisgado. “É este!”, disse enquanto apontava para a gaiola numerada e para o cão preto, cujo rabo abanava para ele.

“Vou levar este!”

Sociólogo de boteco, estudante de Letras, guitarrista ocasional, pai e leitor ávido de caixas de sucrilhos. Leio e escrevo sobre o que me dá na telha.